Reforma mais suave

SOLUÇÃO PARA A PREVIDÊNCIA

Os aliados do governo defendem a aprovação da reforma da Previdência mais enxuta. Eles propõem incluir apenas a idade mínima para a aposentadoria. As outras mudanças ficariam para 2019.

TSE E O GOVERNO

… “não é joguete.” Essa foi a reação do ministro do TSE, Gilmar Mendes, às afirmações sobre a possibilidade do Tribunal pedir vista sobre o caso Temer. A manobra jurídica daria mais tempo ao presidente no julgamento que pode resultar na sua cassação.

DELAÇÃO

O deputado afastado, Rodrigo Rocha Loures, negocia delação premiada com a Lava Jato. Loures, que é aliado de Temer, foi flagrado recebendo R$ 500 mil da JBS.

NOVO COMANDO, MESMO DESAFIO

O novo presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, chega ao comando com a missão de normalizar a liberação de empréstimos. O fluxo está abaixo do considerado desejável pelo setor produtivo. Rabello de Castro também precisa acalmar os funcionários do quadro. Eles estão preocupados com a crise deixada pela antecessora de Rabello, Maria Sílvia Bastos Marques.

Queda de juros em ritmo mais lento

QUEDA DO JUROS

O corte de juros da taxa Selic. deve seguir um ritmo mais lento. A mudança é devido à piora da crise política do país.

BOA NOTÍCIA

O governo espera a divulgação dos números que mostram o crescimento da economia no primeiro trimestre. O avanço de quase dois dígitos na atividade agropecuária é o grande responsável pelo resultado do período.

TROCA NA JUSTIÇA

Torquato Jardim, ex-ministro da Transparência, assume a pasta da Justiça. Osmar Seraglio segue para Transparência.

OPINIÃO

Para o novo ministro da Justiça, o inquérito aberto contra o presidente Michel Temer foi baseada em um documento não periciado.

REFORMA PREVIDENCIÁRIA

Governo já trabalha com a possibilidade de não aprovação da reforma da Previdência. A equipe econômica já trabalha num plano alternativo, que pode ser implantado por Medida Provisória.

Prévia do PIB anuncia melhora na economia

SAINDO DA RECESSÃO

A prévia do PIB, registrada pelo Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC – Br) apontou uma alta de 1,12% nos primeiro trimestre. O dado indica que o país estaria saindo da recessão.

DESCONTO NO FISCO

O governo vai permitir desconto em multas e juros no novo programa para regularização com o fisco. A decisão é considerada uma busca de votos para aprovação da reforma da Previdência.

CONTARAM ATÉ PARA OS RUSSOS

O presidente dos EUA, Donald Trump, compartilhou informações confidenciais com diplomatas russos. A informação é do Washington Post.

PETROBRAS

O custo da Petrobras caiu, reflexo da melhora na sua situação financeira. Com isso, a estatal captou US$ 4 bi em bônus, nessa terça-feira.

 

Gilmar diz que prisões são para mídia

GILMAR E A LAVA JATO

O ministro do Supremo, Gilmar Mendes, declarou que a Lava Jato usa as prisões preventivas para garantir mídia e apoio à Operação. A declaração foi feita em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

JANOT x GILMAR

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu o afastamento do ministro Gilmar Mendes no caso Eike Batista. Janot questiona a isenção do ministro. O escritório da mulher de Gilmar Mendes trabalharia para Eike Batista.

PREVIDÊNCIA AINDA EM MAIO

O governo pretende levar a reforma da Previdência ao plenário da Câmara entre os dias 24 e 31 de maio. A expectativa do Planalto é encerrar ainda hoje a votação do texto na comissão especial da Câmara.

RETORNO DO CRESCIMENTO 

Os resultados do grande varejo apresentou o primeiro crescimento, no primeiro trimestre do ano. Os resultados aparecem depois de dois anos de retração do setor.

Reforma da Previdência passa na comissão da Câmara

VITÓRIA

A reforma da Previdência foi aprovada na comissão especial da Câmara. Dos 19 votos necessários, a proposta conseguiu 23 a favor da aprovação. Foram mais de 8 horas de discussão até a votação final.

PRÓXIMA ETAPA

O Palácio do Planalto já articula para a aprovação no plenário da Câmara. Lá, serão necessários 308 dos 513 votos.

BOLSA REFLETE MELHORAS

Nos últimos 20 dias, a IBovespa começou uma trajetória de alta. O movimento reflete as melhoras da economia.

Câmara aprova urgência para reforma trabalhista

CORRE

A Câmara aprovou, nessa quarta (19), o caráter de urgência para a tramitação da reforma trabalhista. O texto da reforma muda vários ítens da CLT. A oposição é contra o texto.

PREVIDÊNCIA 

Cerca de 60% dos deputados são contra a reforma da Previdência. O levantamento foi feito pelo jornal O Estado de S. Paulo, com 305 parlamentares. Dos questionados, apenas 50 afirmaram votar a favor da proposta para a Previdência. O governo precisa de 308 votos e plenário, para aprovar a reforma.

MUDANÇAS

O relator da reforma da Previdência, Arthur Maia, flexibilizou o texto com regras consideradas generosas para a previdência rural. O governo teme que pressões de outros grupos possam mudar mais o texto.

NEGOCIAÇÃO

A Odebrecht negocia a venda da Odebrecht Ambientar para a canadense Brooksfield. A negociação, no valor de R$ 2,8 bi deve dar fôlego financeiro para a recuperação da empreiteira. A venda depende ainda da anuência da Caixa Econômica Federal.

Mudanças no incentivo para indústria automotiva

 

NOVA ROTA

O programa de incentivo a indústria automotiva vai ser reformulado. Batizado pelo governo de Dilma de Rota 2030, o programa foi criticado pela Organização Mundial do Comércio (OMC), que exigiu a mudança. Um esboço do novo projeto vai ser apresentado hoje, pelo Ministério da Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

PREVIDÊNCIA 

O relatório da reforma da Previdência já tem a mudança para a aposentadoria integral. O governo aceitou a mudança de 49 para 40 anos o tempo mínimo de contribuição para garantir o benefício integral. Com 25 anos de contribuição já vai ser possível pedir a aposentadoria, mas com redução do benefício. Mulheres poderão pedir o benefício a partir de 23 anos de contribuição.

OITENTA E SETE

Esse é o número de de testemunhas que a defesa de Lula incluiu num de seus processos. O juiz Sérgio Moro autorizou que todas as testemunhas ouvidas, mas exigiu que Lula esteja presente em todos os depoimentos. Moro justificou a decisão como uma forma de ‘oitiva de testemunhas irrelevantes’.

DA PRISÃO 

O ex-deputado, Eduardo Cunha, disse que foi o presidente Michel Temer quem agendou reunião de campanha, em 2010, citada nas delações da Odebrecht. Cunha foi acusado pelo próprio Temer de mediar a reunião. A declaração foi feita em nota escrita. Os delatores afirmam que, nesse encontro, foram negociados R$ 40 mi em propina.