PIB per capta: 5 anos para voltar ao patamar de 2014

 

5 ANOS PARA VOLTAR

O PIB per capta dos brasileiros caiu 11% nos últimos 11 meses. A previsão dos economistas é que o retorno ao patamar de R$ 28 mil deve demorar cinco anos. Hoje, o PIB per capta nacional é menor que o do Chile.

TEMER E O TSE

O advogado de Michel Temer, Gustavo Guedes acusa o procurador-geral da República de tentar constranger o presidente. Guedes teme que ainda existam gravações da delação da JBS que não tenham sido divulgadas. O Tribunal Superior Eleitoral começa, na próxima terça (6), o julgamento que pode cassar a chapa Dilma-Temer por abuso de poder econômico, em 2014.

Prévia do PIB anuncia melhora na economia

SAINDO DA RECESSÃO

A prévia do PIB, registrada pelo Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC – Br) apontou uma alta de 1,12% nos primeiro trimestre. O dado indica que o país estaria saindo da recessão.

DESCONTO NO FISCO

O governo vai permitir desconto em multas e juros no novo programa para regularização com o fisco. A decisão é considerada uma busca de votos para aprovação da reforma da Previdência.

CONTARAM ATÉ PARA OS RUSSOS

O presidente dos EUA, Donald Trump, compartilhou informações confidenciais com diplomatas russos. A informação é do Washington Post.

PETROBRAS

O custo da Petrobras caiu, reflexo da melhora na sua situação financeira. Com isso, a estatal captou US$ 4 bi em bônus, nessa terça-feira.

 

PIB Recua, Crise Avança

PIB RECUA 0,8%

Setores que tiveram leve recuperação no segundo trimestre voltam a encolher, e a recessão em 2017 deve continuar.

REAÇÃO BARRA MUDANÇAS AO PACOTE ANTICORRUPÇÃO

Fortes declarações de Procuradores e Juízes do STF e manifestações em redes sociais contra deputados fazem que tentativa de aprovação acelerada do pacote no Senado não fosse levada a diante.

FALTA DE COMBUSTÍVEL FOI A POSSÍVEL CAUSA DE DESASTRE AÉREO

Gravação entre o piloto do avião que transportava a Chapecoense e torre de controle reforça a hipótese de pane seca como principal causa para o acidente. O piloto teria demorado a comunicar o problema, e assim obter prioridade no pouso, a fim de evitar sanções posteriores por não ter a aeronave com a quantidade  extra de combustível exigida além da rota prevista.

______________________________________

POST SCRIPTUM

A Editora-Chefe está de férias. O estagiário publicará as capas do dia até 10 de dezembro…

Estados: dinheiro em troca de medidas de ajuste fiscal

ACORDO

Estados e União vão implantar medidas duras de ajuste fiscal. O consenso é parte do acordo para liberação de dinheiro aos estados. Deve ser implantado o teto de despesas e a criação de fundo com, no mínimo, 10% dos incentivos tributários concedidos à empresas. Em troca os estados vão receber mais rápido os R$ 5 bi que pediram ao governo federal.

 

CALAMIDADE

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, declarou calamidade financeira no estado. É o segundo estado a recorrer a esta medida. O primeiro foi o Rio de Janeiro, em junho passado.

 

AINDA GEDDEL

Dois parentes do ministro Geddel Vieira Lima constam como representante legais do edifício La Vue. Geddel é acusado de atuar, de forma ilícita, para a liberação da obra. O político responde a processo na Comissão de Ética da Presidência, sobre o assunto.

PIB PARADO

Consumidores endividados e taxa de desemprego de quase 12% são responsáveis pela ociosidade das indústrias e uma falta de crescimento do PIB. Analistas afirmam que as medidas de ajuste fiscal propostas pelo governo ainda não são suficientes para o retorno do crescimento. É necessário acelerar a reforma da Previdência e as concessões de projetos de infraestrutura. A queda dos juros também é indicada.


 POST SCRIPTUM

 A desigualdade no Brasil se mantém igual desde 2011. Os dados são do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

 

Governo propõe mais dinheiro para a Saúde

MAIS DINHEIRO PARA A SAÚDE

O governo modificou a proposta de restrição de despesas da Unão e aumentou de 13,2% para 15% a receita destinada à Saúde em 2017. O objetivo é facilitar a aprovação do projeto, no Congresso. Com o aumento, o montante destinado à Saúde será mais de R$ 9 bi.

 MENOS DINHEIRO PARA SALÁRIO

Para cortar gastos com salários, o governo pode reduzir o salário inicial do funcionalismo.

CAI DESEMPENHO DA EDUCAÇÃO

Os resultados do Enem mostram que mais da metade das escolas tiveram uma redução no desempenho. Nas escolas públicas, 9 em cada 10 escolas estão abaixo da média do país. Dos 200 colégios com as maiores notas, 180 possuem nível socioeconômico considerável alto ou muito alto.

 DEVOLVENDO

As desistências de compra de imóveis na planta aumentam e preocupam as empresas do setor. Para cada dois imóveis vendidos, um foi devolvido, de acordo com as incorporadoras. Há um ano, esse índice era de 30%.


POST SCRIPTUM

FMI diz que o Brasil vai superar a Itália e voltar a ser o oitavo maior PIB do mundo.

São 2 candidatos para cada doador de campanha

 

DINHEIRO PARA CAMPANHAS

Menos de 1% dos eleitores fizeram doações para candidatos na primeira eleição sem financiamento de empresas. Os doadores, um total de 229  mil pessoas, encheriam três Maracanãs. Os doadores são a metade do que o total de candidato nos pleitos municipais.

BOLSA FAMÍLIA PARA CAMPANHAS

Apesar de poucos doadores, Justiça Eleitoral já investiga suspeitas de fraude. Existem 16 mil CPFs de beneficiários do Bolsa Família na lista dos financiadores.

UFA

O aumento da produtividade dos campos do pré-sal evitou uma queda maior na produtividade da Petrobras. Mesmo com o corte de investimentos, a estatal conseguiu reduzir de 330 dias para menos de 100 o tempo de perfuração e estabilização dos poços do pré-sal.

IMPOSTOS À VISTA

A Receita Federal avalia cerca de 300 incentivos fiscais para o pacote fiscal do governo. Se cancelados, esses incentivos podem gerar R$ 15 bi para os cofres públicos, a partir de 2017. As avaliações envolves descontes de IPI para fabricantes de eletrodomésticos, bebidas, bicicletas, motos e eletroeletrônico. Também está em análise a desoneração da folha de pagamento. A ideia do governo é cancelar programas e distribuir melhor os recursos.

PREVIDÊNCIA E O PIB

Sem reforma, a Previdência deverá consumir 20% do PIB em 2060. Hoje, 9,9% do PIB é gasto no setor. As informações são do IPEA.


POST SCRIPTUM

O ministro Antonio Palocci é preso pela Operação Lava Jato, na manhã de hoje.